Neste espaço pode-se escrever as experiências boas e ruins, é uma forma de passar para os outros nossas dificuldades ao trabalharmos em um país que as Leis e Decretos ficam apenas no papel. Quando criei este blog queria tão somente desabafar a frustração de ver tantos alunos aqui em Goiânia sem intérprete de libras, provocado pelo descaso do governo, mas depois percebi que poderia fazer mais, então comecei a postar textos de pessoas que nem conheço e gostei de ter lido. Achei que compartilhando esse material estaria ajundando outras pessoas em suas pesquisas, o que eu não pensei é que teria tanto acesso em tão pouco tempo, visto que meu blog foi criado em abril de 2011. Gostaria de agradecer a todos que têm acessado este blog, e espero ter ajudado e contribuido com alguma coisa. Se você tiver um texto que possa me enviar eu o postarei, assim estará me ajudando também.(regisneia@gmail.com)

Tradizir página

Adicionar aos Favoritos

Imprimir ou Salvar em PDF

Print Friendly and PDF

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Nossa Água


Imagem Google gota da água
Água é nossa fonte de vida, nenhuma pessoa no Planeta viveria sem água. Vivemos em país que possui grande abundância de água e muitos acreditam que ela nunca vai acabar, mas estão errados. 
Nosso Planeta conta com, aproximadamente, 1,386 bilhão de Km3 de água, sendo que a maior parte é constituída de água salgada: 97,5%. De água doce, temos apenas 2,5%, porém dois terços estão distribuídos em geleiras, neve, gelo e galerias subterrâneas congeladas. Lembrando que apenas um terço está disponível para o consumo humano. Nós encontramos água doce em rios, lagos, fontes, no solo, na umidade do ar, em áreas alagadas, e a maior parte está armazenada em aquíferos, que são reservas subterrâneas que contêm, mais de cem vezes, do total de todas as águas de superfície. É bem verdade que temos água em abundância, contudo e bom nos atermos que as populações estão aumentando e com isso a necessidade de água também cresce, pois dependemos da água para o plantio, para a criação de animais, para a indústria, para nossa higiene pessoal, para bebermos ou para a limpeza em geral. 
Imagem Google água dentro do copo no deserto
Um dos problemas é que o volume de água doce é fixa, não aumenta nem diminui, o que tem aumentado mais e mais é seu consumo, o desperdício, o mau uso e a poluição, isso sem contar que "água doce"  não significa, que seja "água potável". Água potável é aquela de boa qualidade, livre de contaminação, de produtos tóxicos, de resíduos ou dejetos de qualquer natureza, resumindo é a água que o homem pode beber.

Os mananciais estão sendo contaminados pelos esgotos e as indústrias devolvem à natureza águas poluídas por produtos tóxicos, sem contar com o uso irracional de água pela agricultura, o desmatamento desordenado vem provocando alterações significativas na quantidade e qualidade da água e do clima.  
Imagem Google Manancial

A água, é de grande importância, visto que é alvo de disputas e demandas em todo o Planta. Por isso temos que saber preservá-la, e fazermos bom uso dela de forma democrática.
A água pode ser encontrada em três formas diferentes, denominadas estados físicos: sólido, líquido e gasoso. O gelo que representa o estado sólido, constitui, aproximadamente 2% de seu volume podendo ser encontrado nas montanhas como os Andes (América do Sul), os Alpes (Europa), o Himalaia (Ásia) e, principalmente, nos polos Norte e Sul.
Imagem Google monte puncak jaya
A forma a qual estamos acostumados a água é em seu estado líquido, a nuvem é constituída de partículas de águas ou de cristais de gelo, resultado da condensação das partículas d'água na atmosfera, e a chuva é resultado da precipitação das partículas condensadas das nuvens, na forma de água ou gelo. A neve é a queda leve, moderada ou forte, de cristais de gelo, que viajam através das nuvens. E quando ela está em seu estado gasoso se apresenta em forma de vapor, é encontrada na atmosfera e em depósitos subterrâneos de regiões vulcânicas. A fumaça é o vapor que se desprende de
Imagem Google vulcão
matéria orgânica em combustão ou extremamente aquecida (entre elas, as queimadas); vapor exalado de líquidos quentes ou em ebulição. A água é encontrada em quase tudo que nos cerca: no ar, no solo, nas plantas nas rochas, nos animais, inclusive no homem que tem em torno de 70% no corpo humano.
Há regiões onde a seca impera, e a população sofre para ter acesso a água potável, seja de boa qualidade ou não. De quarenta anos para cá, a população mundial dobrou, superando o total impressionante de 6 bilhões e 800 milhões de habitantes, porém a água continua com o mesmo nível de volume. Os mananciais são cursos d'água que correm de forma permanente. A forma mais conhecida de consumo é a de uso doméstico, mas ela é usada também para irrigação, pecuária, represas ou hidrelétricas; poços e lagos são contaminados ou envenenados.
Imagem Google planeta mergulhando na água
 Entretanto, para podermos continuar a usufruir desses prazeres como: um banho refrescante, um bom suco, regar nossa horta ou dar banho em nosso cachorro teremos que rever o conceito de como utilizarmos a água, adotando atitudes de preservação contra o manejo inadequado ou os abusos que levem à degradação dos mananciais. A qualidade de nossas águas depende muito da proteção de nossas matas, campos e áreas úmidas. Devemos nos preocupar com a proteção de pântanos, alagados, brejos, veredas vazantes, que são áreas alagadiças. São elas, que filtrando as águas, retiram as impurezas, absorvem o lodo, e tal como esponja, regulam o fluxo das águas e tornam o ambientes mais fresco e agradável. A água é um bem fundamental e à sobrevivência de todos os seres vivos, terrestres e aquáticos. A preservação das águas, com boa qualidade, não é tarefa simples. Toda a bacia hidrográfica influi na qualidade das águas de um rio. Suas características são definidas pelo tipo de terreno, pela cobertura vegetal e pelo modo de uso do solo em percurso, isto é, pela forma como são ocupados os terrenos pelos aglomerados urbanos, pela agricultura, desmatamentos, queimadas, mineração, indústrias, extração de areia, ou seja, pelas ações ou omissões do ser humano, então depende de você. Preserve nossa água. 

Este texto foi resumido do original: Água Introdução ao Estudo da Água, Fundação Cesar Balocchi-Acqua Vitae: Kelps, 2011. Fiz algumas alterações e coloquei algumas imagens.




quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Sustentabilidade No Mais Educação Escola Melchior Braga Costa

Sustentabilidade é um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações. Ou seja, a sustentabilidade está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente, usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro. Seguindo estes parâmetros, a humanidade pode garantir o desenvolvimento sustentável.
Propõe-se a ser um meio de configurar a civilização e atividade humanas, de tal forma que a sociedade, os seus membros e as suas economias possam preencher as suas necessidades e expressar o seu maior potencial no presente, e ao mesmo tempo preservar a biodiversidade e os ecossistemas naturais, planejando e agindo de forma a atingir pró eficiência na manutenção indefinida desses ideais. O Conceito de Sustentabilidade é complexo, pois atende a um conjunto de variáveis interdependentes, mas podemos dizer que deve ter a capacidade de integrar as Questões Sociais, Energéticas, Econômicas e Ambientais.

 Ações relacionadas a sustentabilidade

- Exploração dos recursos vegetais de florestas e matas de forma controlada, garantindo o replantio sempre que necessário. 
- Preservação total de áreas verdes não destinadas a exploração econômica.
- Ações que visem o incentivo a produção e consumo de alimentos orgânicos, pois estes não agridem a natureza além de serem benéficos à saúde dos seres humanos;
- Exploração dos recursos minerais (petróleo, carvão, minérios) de forma controlada, racionalizada e com planejamento.
- Uso de fontes de energia limpas e renováveis (eólica, geotérmica e hidráulica) para diminuir o consumo de combustíveis fósseis. Esta ação, além de preservar as reservas de recursos minerais, visa diminuir a poluição do ar.
- Criação de atitudes pessoais e empresarias voltadas para a reciclagem de resíduos sólidos. Esta ação além de gerar renda e diminuir a quantidade de lixo no solo, possibilita a diminuição da retirada de recursos minerais do solo.

- Desenvolvimento da gestão sustentável nas empresas para diminuir o desperdício de matéria-prima e desenvolvimento de produtos com baixo consumo de energia.
- Atitudes voltadas para o consumo controlado de água, evitando ao máximo o desperdício. Adoção de medidas que visem a não poluição dos recursos hídricos, assim como a despoluição daqueles que se encontram poluídos ou contaminados.

Conceitos correlatos

 sustentável significa apto ou passível de sustentação, sustentado é aquilo que já tem garantida a sustentação. É defendido que "sustentado" já carrega em si um prazo de validade, no sentido de que não se imagina o que quer que seja, no domínio do universo físico, que apresente sustentação perpétua (ad aeternu), de modo que, no rigor, "sustentado" deve ser acompanhado sempre do prazo ao qual se refere, sob risco de imprecisão ou falsidade, acidental ou intencional. Tal rigor é especialmente importante nos casos das políticas ambientais ou sociais, sujeitos a vieses de interesses divergentes.

 A sustentabilidade abrange vários níveis de organização, desde a vizinhança local até o planeta inteiro. 

Benefícios

A adoção de ações de sustentabilidade garantem a médio e longo prazo um planeta em boas condições para o desenvolvimento das diversas formas de vida, inclusive a humana. Garante os recursos naturais necessários para as próximas gerações, possibilitando a manutenção dos recursos naturais (florestas, matas, rios, lagos, oceanos) e garantindo uma boa qualidade de vida para as futuras gerações.

Alunos convidando para a Exposição da Sustentabilidade

Colagem: torneira no globo terrestre com desenhos de gotas de água caindo



Colagem: vários blocos com figuras de mananciais, seca e fábricas
  

Colagem: folha verde com o tema Sustentabilidade e desenhos de pássaros voando sobres flores


Colagem: vários blocos com fábricas, mananciais, árvores e seca



Colagem: desenho feito por aluno Gustavo, sol, lago e arbustos
 

Colagem: tema Sustentabilidade e blocos com bomba atômica e desenho de chuva


Colagem: textos explanando o tema Sustentabilidade e desenho de chuva com pássaros voando


Fontes diretas:
 http://www.suapesquisa.com/ecologiasaude/sustentabilidade.htm
 http://www.sustentabilidade.org.br/
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Sustentabilidade


 

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Elivânia Damas no Mais Educação

O Programa Mais Educação, criado pela Portaria Interministerial nº 17/2007, aumenta a oferta educativa nas escolas públicas por meio de atividades optativas que foram agrupadas em macrocampos como acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica.

A iniciativa é coordenada pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD/MEC), em parceria com a Secretaria de Educação Básica (SEB/MEC) e com as Secretarias Estaduais e Municipais de Educação. Sua operacionalização é feita por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

O programa visa fomentar atividades para melhorar o ambiente escolar, tendo como base estudos desenvolvidos pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), utilizando os resultados da Prova Brasil de 2005. Nesses estudos destacou-se o uso do “Índice de Efeito Escola – IEE”, indicador do impacto que a escola pode ter na vida e no aprendizado do estudante, cruzando-se informações socioeconômicas do município no qual a escola está localizada.

Por esse motivo a área de atuação do programa foi demarcada inicialmente para atender, em caráter prioritário, as escolas que apresentam baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), situadas em capitais e regiões metropolitanas.

As atividades tiveram início em 2008, com a participação de 1.380 escolas, em 55 municípios, nos 27 estados para beneficiar 386 mil estudantes. Em 2009, houve a ampliação para 5 mil escolas, 126 municípios, de todos os estados e no Distrito Federal com o atendimento previsto a 1,5 milhão de estudantes, inscritos pelas redes de ensino, por meio de formulário eletrônico de captação de dados gerados pelo Sistema Integrado de Planejamento, Orçamento e Finanças do Ministério da Educação (SIMEC).  Em 2010, a meta é atender a 10 mil escolas nas capitais, regiões metropolitanas - definidas pelo IBGE - e cidades com mais de 163 mil  habitantes, para beneficiar três milhões de estudantes.

Para o desenvolvimento de cada atividade, o governo federal repassa recursos para ressarcimento de monitores, materiais de consumo e de apoio segundo as atividades. As escolas beneficiárias também recebem conjuntos de instrumentos musicais e rádio escolar, dentre outros; e referência de valores para equipamentos e materiais que podem ser adquiridos pela própria escola com os recursos repassados.

Em Meu primeiro dia aproveitei que é período eleitoral e fiz uma eleição onde eu nomeava um (a) secretário (a) e um (a) auxiliar de secretário (a), a conscientização dos alunos para aprenderem a fazer escolhas é meu foco. Acho que devemos formar cidadãos que são capazes de exercer seu livre arbítrio; sempre iremos nos deparar com decisões a serem tomadas, por isso trabalho com esse estímulo: levo as tarefas do tema que proponho na semana e textos a serem estudados e copiados. a primeira leitura é feita por mim, depois pergunto quem quer fazer o quê? E fica fácil assim, porque alguns querem fazer tarefas, outros querem discutir o texto e criar cartazes e outros fazerem cópias e colorir figuras, e dessa forma todos aprendem mais sobre o assunto proposto sem negativas, com a maioria cooperando. 

 Através de um convite do Escritor e coordenador do Projeto Mais Educação na Escola Melchior Braga Costa em Goianira, Goiás Luciano Roriz eu aceitei trabalhar no letramento, o que me pareceu um trabalho difícil tem sido abençoado, me ofertando um leque de conhecimentos e interação com os alunos. Já concluí o tema Sustentabilidade e vou trabalhar o Hino Nacional esta semana, para despertar nos alunos o amor a Pátria, farei da mesma forma levarei o Hino para ser cantado, lido e copiado além de tarefas do assunto propostos, com isso espero alcançar meu intuito que é despertar o patriotismo nos alunos que estão em idade de formação de suas opiniões  


Professora Elivânia Damas e alunos




Contagem dos votos
Votação sendo aberta pra ver quem ganhou
Nomes dos candidatos
Luciano Roriz Coordenador do Projeto Mais Educação
Eleitas: Geovana e Janaina
 Fonte:http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=86&id=12372&option=com_content&view=article/

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

EPILEPSIA

Imagem Google Cérebro 3D

EPILEPSIA  

(Gustavo Mauro Witzel Machado)

           Crise convulsiva: 

          «Termo usado para designar um episódio isolado.» 

           Distúrbio convulsivo: 

         «É um distúrbio crônico e recorrente, (epilepsia).»  
 
EPILEPSIA / CONVULSÃO – ATAQUE EPILÉPTICO

            Sinônimos: epilepsia significa  ter um ataque, finar-se; desmaio com tremor
Epilepsia é uma doença neurológica crônica podendo ser progressiva em muitos casos, principalmente no que se relaciona a alterações cognitivas, frequência e gravidade dos eventos críticos. É caracterizada por crises convulsivas recorrentes, afetando cerca de 1% da população mundial.
Uma crise convulsiva é uma descarga elétrica cerebral desorganizada, que se propaga para uma ou todas as regiões do cérebro, levando a uma alteração de toda atividade cerebral.
Pode se manifestar como uma alteração comportamental, na qual o indivíduo pode falar coisas sem sentido, por movimentos estereotipados de um ou mais membros, ou mesmo através de episódios nos quais o paciente parece ficar “fora do ar”, no qual ele fica com o olhar parado, fixo e sem contato com o ambiente.
A descarga elétrica neuronal anômala que geram as convulsões podem ser resultante de neurônios com atividade funcional alterada (doentes), resultantes de massas tumorais, cicatrizes cerebrais que um dia foram processos infecciosos (meningites, encefalites), isquêmicos ou hemorrágicos (acidente vascular cerebral), ou até mesmo por doenças metabólicas (doenças do renais e hepáticas), anóxia cerebral (asfixia) e doenças genéticas

Imagem Google
 
AVC = DERRAME = AVE
AVC= ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL
AVE = ATAQUE VASCULAR ENCEFÁLICO
 
Como se desenvolve? 

Podem ser desencadeadas por um estímulo visual, auditivo, ou mesmo por algum tipo específico de imagem. Nas crianças, podem surgir na vigência de febre alta, sendo esta de evolução benigna, muitas vezes não necessitando de tratamento.
Nem toda crise convulsiva é caracterizada como epilepsia. Para tal, é preciso que o indivíduo tenha apresentado, no mínimo, duas ou mais crises convulsivas no período de 12 meses, sem apresentar febre, ingestão de álcool , intoxicação por drogas ou abstinência, durante as mesmas.
      
Como o médico faz o diagnóstico?

O diagnóstico é realizado pelo médico neurologista através de uma história médica completa, coletada com o paciente e pessoas que tenham observado a crise. Além disso, pode ser necessário exames complementares como eletroencefalograma (EEG) e neuro imagem, como tomografia e/ou ressonância magnética de crânio.  

INCIDÊNCIA  

0,2 a 0,8% das convulsões aparecem nos dez primeiros dias de vida, sendo a sua maioria na primeira semana (29 e 32 dia de vida). 

SINTOMATOLOGIA 

É de difícil observação, resumindo-se às vezes, a apenas um piscar de olhos, uma recusa alimentar, alterações do tónus, apneia ou espasmos dispneicos.

Sinais de crise no Recém Nascido:  Movimentos de rotação da cabeça, olhar fixo e respiração irregular; Espasmos tónicos das extremidades; Tremores, finos e prolongados das extremidades;
 Movimentos de pedalagem dos membros; Períodos de hipotonia acentuada em fase pós critica;
 Hiperatividade e alterações do sono; Reflexo de moro espontâneo; Alterações da respiração;
Alterações da deglutição; 

Imagem Google bebê sendo examinado

ETIOLOGIA

As causas são múltiplas.
Cerca de 90% das convulsões no Recém-nascido são devidas a:
      Hipoglicémia - nas primeiras 48 horas de vida;
      Hipoxia - nas primeiras 48 horas de vida;
      Traumatismos de parto - nas primeiras 48 horas vida;
      Hipocaliémia ou hipomagnesémia - nas primeiras 72 horas de vida;
Depois da primeira semana de vida as infecções e problemas genéticos são as principais causas de convulsão.  
                                                       
CLASSIFICAÇÃO DAS CONVULSÕES 

CONVULSÕES PARCIAIS OU FOCAIS 

Neste tipo de convulsão, há uma descarga elétrica anormal, proveniente do foco epileptogénico, limitada a uma região mais ou menos circunscrita do córtex cerebral. As áreas que são mais frequentemente afetadas são:
      o lobo frontal,
      temporal e
      parietal.

Convulsões Psicomotoras 

O ataque apresenta um período de comportamento alterado, amnésia, e é incapaz de responder ao ambiente. Não há perda de consciência, no entanto, não se lembra do seu comportamento. Depois da crise, normalmente, segue-se um período de sono ou sonolência

Convulsões febris 

São distúrbios transitórios associados à febre.
      Afetam 3 a 5% das crianças;
      Afeta normalmente crianças entre os 6 meses e os 5 anos;
      Na maioria dos casos acontece quando há uma elevação rápida da temperatura acima dos 38,9ºC;
      Normalmente não há compromisso neurológico. 

Convulsões de grande mal (motoras principais) 

Caracterizam-se por duas fases completamente distintas.
Fase Clónica:
       Reviramento ocular;
       Perda imediata de consciência;
       Contracção generalizada e simétrica de toda a musculatura corporal;
       Braços flectidos;
       Pernas, cabeça e pescoço estendidos;
       Poderá emitir um grito;
       Dura aproximadamente 10 a 20 segundos;
       A criança apneica pode tornar-se cianótica.
Fase Tônica:
       Movimentos violentos, rítmicos e involuntários;
       Pode espumar pela boca;
       Incontinência urinária.
      À medida que a crise vai cedendo, os movimentos tornam-se menos intensos e com intervalos maiores. Dá-se um relaxamento corporal e segue-se uma fase de sonolência.

Imagem Google correntes elétricas cerebrais
Pequeno mal 

Caracteriza-se por uma perda breve de consciência. Podem passar despercebidas, o comportamento sofre poucas alterações. É frequente entre os 5 e os 9 anos de idade. Pode haver alteração do tónus muscular, e a criança deixa cair pequenos objectos, no entanto raramente cai. Não ha incontinência. 

Primeiros Socorros 

Ao se deparar com uma criança em crise convulsiva, primeiramente, deve-se manter a calma.
A maneira mais correta para socorrê-la é, limpar a área em volta, protegê-la para que não bata a cabeça no chão; girar a cabeça da criança para o lado direito, já que para este lado, tem-se como resultado a melhor liberação das vias aéreas; pode ser colocado uma frauda ou tecido nos molares do lado esquerdo para que o vômito ou baba saia; nunca tentar puxar a língua para fora (desenrolar a língua), pois a pessoa em crise vai mordê-la e machucar a própria língua.
Caso a crise ultrapasse 10 minutos levá-la a um pronto socorro.

Imagem Google Primeiros Socorros para Convulsão


Todos os direitos reservados ao professor Gustavo, fiz algumas correções e coloquei algumas ilustrações, espero que tenham gostado e postem um comentário.

Imagem Google pés de mãe e filho descalço